terça-feira, 11 de maio de 2010

Noite Feliz

O Natal se aproximava, faltavam exatamente 3 dias para a data mais esperada durante todo o ano por Alice, uma pequena e encantadora garotinha que adorava afirmar que o natal é muito melhor que aniversário ou qualquer outro dia especial.
Manhã do dia vinte e quatro de dezembro. Aquele corre-corre sem fim no apartamento 17 do edifício Rita Cruz. A família toda se preparando para passar o natal na casa de campo do tio Alberto, 120 kilometros longe dos prédios, das buzinas e do trânsito da cidade grande. Nada melhor que o sossego do interior.
Pouco antes de tomarem o rumo da estrada, o pai vai até a garagem conferir se está tudo certo com o veículo. A mãe está no quarto terminando de arrumar as malas e Lucas, o filho mais velho do casal, corre de um lado para o outro de tanta euforia.
- Vamos, vamos! Quero chegar logo a casa do titio.
Estranho! A que mais se empolga com a data, não se econtrava tão euforica quanto o irmão. Alice está sentada em sua cama, com Maria Flor ao colo (sua bonequinha de pano). Concentrada e com o pensamento longe, quem entrasse no quarto poderia jurar que era a expectativa para abrir os presentes de natal.
Todos já estão preparados para a viagem, então pé na estrada. Pouco mais de 2 horas já estão na casa de campo. Lucas desce enérgico, enquanto os pais tiram as malas do carro. Lá está o resto da família, todos felizes se acomodam e se paparicam.
Horas depois preparam a mesa para a ceia, arrumam todos presentinhos ao pé da árvore gigantesta que existe na sala - claro que tudo isso sem despertar a atenção das crianças que brincam no jardim. E como em todos os outros anos, tio Alberto seria o Papai Noel, mas como sempre, só os adultos sabiam, nada de estragar a magica noite das crianças, já pensou se elas descobrem que o bom velhinho não vem todos os anos do Polo Norte, pois ele mora na casa de campo e é o titio preferido e com uma barba falsa. Essa descoberta seria um verdadeiro desastre, sempre estiveram certos disso.
Após a ceia as crianças corriam euforicas pela sala, - Aí vem o papai noel! Isso que gritavam os adultos, se envolvendo na mesma magia. Então tio Alberto, digo, papai noel, entra rapidamente em cena, uma alegria que só... Os pequenos e o bom velhinho gritam insandecidamente, HO-HO-HO FELIZ NATAL. Alice sorri, mas não se anima como as outras crianças. O natal a atrai, a casa de campo também, mas esse ano estava tão calada. Isso era o que toda família conseguia perceber.
Começa a entrega dos presente. As crianças se esmagam, eu quero a caixa maior, eu quero o carrinho de controle, eu quero esse, eu quero aquele, e enfim todos com seus presentes... Na verdade não eram exatamente "todos", o bom velhinho percebeu que restou um ao pé da árvore, olha para cada criança e nota que uma delas ainda está sem seu presentinho, e por mais incrível que aquilo pudesse parecer, era Alice, a pequena mais apaixonada pelo natal.
- Alice querida, venha até aqui, esse é o seu.
A garota dá seus passinhos até a árvore, estende os braços e pega o pacote.
- Vamos, não vai abrir?- Não!
- Mas é seu Alice, pode abrir!
- Esse ano eu não quero o meu presente de Natal... vou dar para a menina que sempre fica na avenida pertinho de casa. - deu um leve suspiro e se calou.
Todos ficaram assustados, a Alice abrindo mão de seu presente?
- Como é o nome dessa sua amiguinha, querida? Se quiser podemos arranjar um outro presentinho a ela, o que acha?
- Eu não a conheço, não sei seu nome, mas tudo bem quanto ao presente, todos os natais ganho, no aniversário e dia das crianças também... então posso dar esse a ela.
- Tem certeza que quer ficar sem presente esse natal?
- Sim, tenho certeza papai noel! - falou com um ar de certeza, olhando fixamente para o bom velhinho.- Mas como vai saber se ela gostará do presentinho?
- Sei que ela irá gostar, pois assim não precisará mais juntar moedinhas todos os dias lá no semáforo para comprar seu presente de natal.
Após ouvirem o que a pequena disse, todos os adultos que estavam na sala ficaram paralizados e só conseguiam pensar em uma coisa o resto da noite; como estaria sendo o Natal do garota do semáforo?


"Há uma certa vergonha em sermos felizes perante certas misérias."

Isabelle Dias

_

Esse conto fiz para a seleção do "Desafio dos Escritores", um desafio super bacana que rola todo ano pela internet, é organizado por um pessoal da Literatura de Câmara.
(segue o site: http://literaturadecamara.sites.uol.com.br/).
Fui selecionada, mas só cheguei a elaborar 3 contos e logo fui eliminada (hehe), mas cresci muito com eles, com as dicas dos jurados, e com tudo mais. Deixo aqui meu muito obrigada, e espero ano vem ter o enorme prazer de novamente me ver nesse desafio maravilhoso.

10 comentários:

Felipe Cassiano disse...

Adorei
de vdd !
parabens pela forma como escreve.

eee aguardo mais hehehe
beijos e obrigado pelas visitas

"Só enquanto eu respirar, vou lembrar vc.." disse...

Oi minha Rara Ponto de Luz!!

Passei p agradecer pelo comentário que me deixou!!Parabéns pelo seu blogger é mto lindo viu!!

Um monte de beijossss em seu coração.

reckoning disse...

Poxa, eu arrepiei com o seu conto, parabens, sério, parabéns mesmo. Eu tomo contos assim como uma lição para mim, as vezes somos tão egoístas, tão mesquinhos, que só pensamos em nós mesmos.
Nossa, nem sei o que dizer, eu juro que fiquei sem palavras ao lê-lo.

Estou te seguindo, e agradeço muito por ter visitado meu blog, acredite: estarei sempre presente aqui, ok?!

beijão.

cássia vicentin disse...

poderiam existir mais 'alices' no mundo

Bill Falcão disse...

Escrevendo assim, você estará certamente entre as primeiras no ano que vem, Isabelle! E a citação final, "há uma certa vergonha em sermos felizes perante certas misérias", é simplesmente certeira!
Bjoo!!

Véu de Maya disse...

Boa Noite, Isabelle.

Li com atenção e gostei.Precisa de ser mais persistente...Aproveite as dicas e vá em frente.
beijinho e outros bons contos.

Véu de Maya

Mulheres que amam demais disse...

Oi, tdo bem? Achei seu blog na comunidade do orkut sobre jovens escritores e vim visita-lo. vC Esta de parabens!!!
BJs Mada
P-s: Caso queira conhecer o meu o endereço e:
www.mulheramademais.blogspot.com

Natália Firmo disse...

Oiiii, tem um selinho pra vc lá no meu Blog...rs!!

E aguardo vc como seguidora...rs!!

Blogbeijooos!

lucas disse...

Desconcertante seu texto.

lindo! Parabéns de novo!

s2

Mudando de Assunto disse...

A realidade muitas vezes é fria e calculista, mas parabéns pelo seu texto, vejo que você tem futuro, um grande abraço.

http://eriolmala.blog.uol.com.br/